quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

Primavera

Do Brasil para o mundo...



Nome científico: Bougainvillea glabra / Bougainvillea spectabilis
Nome popular: Primavera, três-marias, buganvília, buganvile, sempre-lustrosa, santa-rita, ceboleiro, roseiro, roseta, pataguinha, pau-de-roseira, flor-de-papel
Família: Nyctaginaceae
Divisão: Angiosperma
Origem: Brasil
Ciclo de vida: Perene


·     De origem brasileira, a primavera (Bougainvillea spectabilis, Bougainvillea glabra) é uma espécie rústica, que exige poucos cuidados. Seu nome foi dado em homenagem ao francês Louis Antoine Bougainville, que a descobriu em nosso país, por volta de 1790, e a levou para a Europa, onde se tornou famosa e foi difundida para o resto do mundo. 


As belas e coloridas "flores" da primavera não são exatamente as flores da planta: são brácteas (folhas modificadas) que envolvem as verdadeiras, e relativamente insignificantes, flores amareladas. O conjunto resulta numa aparência exótica, encontrada nas cores branca, rosa, vermelho intenso ou laranja.




Por ser uma espécie muito hibridada, já se obteve brácteas com dezenas de formas e cores, inclusive bicolores - e também a forma variegada. Quando adulto esse arbusto escandente e espinhento pode atingir de 5 a 10 metros de comprimento. A primavera é uma planta muito rústica, que necessita de poucos cuidados e se adapta a diversos tipos de clima; sendo, inclusive, bastante resistente a mudanças bruscas de temperatura.


É certo, porém, que os coloridos mais vibrantes e intensos desta planta são encontrados em locais de clima quente e úmido. A spectabilis ocorre em cores mais intensas que a espécie glabra (em tom róseo suave), mas a glabra resiste mais ao frio do Sul. Pode ser conduzida com arbusto, arvoreta, cerca-viva e como trepadeira, enfeitando com majestade pérgolas e caramanchões de estrutura forte.


Cultivo

Devem ser cultivadas em solo fértil e bem drenado, previamente preparado com adubos químicos ou orgânicos. A primavera gosta de sol pleno, clima quente e úmido, e suporta solos mais secos. As regas podem ser feitas aproximadamente de 15 em 15 dias. A frequência só deve ser aumentada nos primeiros meses após o plantio ou em épocas muito quentes.  Floresce principalmente na primavera e verão e esporadicamente durante o ano.   
A poda dos ramos não deve ser feita com a planta florida, aguardar a época vegetativa para dar a forma desejada ao arbusto. Recomenda-se fazer uma poda de limpeza periodicamente, removendo galhos secos e doentes, para favorecer o bom desenvolvimento da primavera e estimular sua floração constante. Após a poda é aconselhável realizar uma boa adubação, usando adubos orgânicos ricos em Fósforo (P). Em geral, as primaveras devem ser adubadas preferencialmente com material orgânico (esterco bem curtido, torta de mamona ou farinha de ossos). No caso de optar pelo adubo químico, a recomendação é aplicar uma formulação NPK 10-20-15 ou aproximada, com predominância do P (Fósforo) da fórmula.  

Propagação:
Multiplica-se por sementes, alporquia e estaquia de ramos mergulhados em enraizadores e colocados em casca de arroz carbonizada ou areia mantidos úmidos. 


Pragas:
Apesar de rústica, a primavera pode ser atacada por lagartas (que devem ser eliminadas pela catação manual) e doenças fúngicas. Se o problema for muito grave, indica-se borrifar a planta com um bom fungicida, tomando sempre o cuidado de não encharcar o seu solo, para evitar o acúmulo de umidade.

Ambiente e uso decorativo:
A bugainvilea é uma das trepadeiras mais bonitas para o paisagismo, caracterizando nosso clima tropical e colorido. Todas as regiões do Brasil podem cultivá-la com grande efeito paisagístico num jardim. Pode ser colocada numa pérgola com uso de ambiente de lazer com mesas e cadeiras, onde seu colorido empresta um belo contraste com móveis claros. Seu uso em grandes vasos em jardins com piscinas, em arcos para acabamento de corredores ensolarados e para muros e paredes faz dela uma das plantas mais procuradas para projetos.
Algumas são comercializas em grandes vasos, troncos grossos e retorcidos, muito ornamentais. Tratam-se de mudas mais velhas, às vezes matrizes que são comercializadas para dar lugar a novas. Tem aparência de bonsais, ficam muito interessantes junto a piscinas, terraços e solitárias sobre gramados. Mas, além de muito caras, já não florescerão tanto quanto uma muda nova e vigorosa.





Um comentário:

  1. boa noite moro em uma fazenda e existe perto de uma estrada dois pés de primavera uma roxa outra vermelha gostaria e pegar mudas delas para plantar eu posso plantar com terra vegetal intercalando com areia grossa...e qual adubo correto para aduba-la. obrigada.

    ResponderExcluir